cha de bebe

 

A gravidez é o sonho de muitas mulheres, mesmo que tenha acontecido repentinamente sem programação, provou ser uma experiência rica e maravilhosa para ela. A beleza da maternidade de escolher as roupinhas de bebe, preparar o chá de panela é incontável, mas a tarefa não é fácil.

 

O equilíbrio entre vida profissional e pessoal pode ser um dos maiores impasses na vida das mulheres. Deixar de trabalhar não é uma decisão fácil, afinal, escolher uma carreira é tanto um sonho quanto a maternidade. Além disso, nem todas as mulheres têm a capacidade de parar de trabalhar e se tornar mãe em período integral, porque muitas são o único ou principal provedor da família.

 

Esse equilíbrio se torna mais complicado quando as carreiras exigem tempo distinto, longas horas e, geralmente, fins de semana ou turnos.

 

Para encontrar um equilíbrio entre a maternidade, o trabalho e a vida pessoal, algumas mulheres mostram como conciliar papéis e como veem a maternidade. Esperamos que todas as mães que nos acompanharam se sintam representadas e honradas com essas palavras. Parabéns a todos por serem super capazes!

 

Gestantes na atualidade com a mídia digital

 

A mulher atualmente tem todos os direitos e benefícios de qualquer cidadão, a mulher tem até sua data, gerando uma oportunidade de reconhecer seu papel no cotidiano das crianças e famílias. Mas quais são os principais desafios de ser mãe hoje, especialmente na sociedade digital em constante crescimento? Vou exemplificar com pequenas palavras.

 

A realidade social global marcada por novas tecnologias, com os relacionamentos como os principais relacionamentos virtuais, tem impacto nas famílias, especialmente nos aspectos envolvidos para o exercício das funções das gestantes. Que envolve também como a mãe vai cuidar do seu Bebê futuro.

 

Segundo os profissionais, isso ocorre porque a tecnologia promove o fortalecimento dos direitos na medida em que a liberdade de pais e filhos é confusa. “A família é uma das únicas instituições que não pode alcançar a democracia plena e é punida por crianças que acreditam ter os mesmos direitos que seus pais.

 

Em muitos casos, seus direitos até superam os pais por causa de sua imaturidade e ele alertou. No caso “, o coordenador deve explicar:” A família deve ser considerada como uma organização participativa e a última palavra nela deve ser o pai “.

 

No Brasil, 72% das pesquisadoras-mãe não dividiram os serviços de cuidados infantis igualmente com seus pais. Os dados provêm das mais recentes pesquisas conduzidas pela Data Folha, que avaliaram o impacto da maternidade das mulheres na carreira científica das mesmas no Brasil. Mesmo sendo um desafio 90% das mulheres afirmam querer outra gestação.